Seguidores

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Marah Mends participa da peça teatral de Fernando Castilho: HumaNus no Teatro Plínio Marcos.

Cartaz da peça.
 
               Fui surpreendida pelo diretor da peça, Fernando Castilho,
                                              ao ser chamada para o palco e recitar uma poesia.
                                              Nem esperava, ufa... mas, foi uma agradável surpresa. 
                                              E isso aconteceu com outros espectadores também.
                                              Eis o diferencial de um diretor que além de atuar e dirigir,
                                              comunica-se diretamente com o seu público. Parabéns ao
                                              grande Fernando e todo elenco envolvido.

                                                   Recitando no palco da peça: HumaNus.



O grupo ART & IMPROVISO CIA TEATRAL

                     Foi fundado há mais de uma década em Osasco por Fernando Castilho.
                          Juntos já apresentaram peças como: "A História do Mundo" de Mel Brooks,
"Contos Medievais" de Rene Murad e
         "Sonhos de uma Noite de Verão" de William Shakespeare.

Ficha técnica:
Nome da peça: HumaNus
Texto e Direção: Fernando Castilho
Estilo: Psicoteatro
Sinopse: O encontro entre seres e seus sentimentos nus.
Elenco: Diana Paiva, Fernando Castilho, Leticia Takara, Roberta Heitsman e Tatchiane Damasceno
Local: Teatro Plínio Marcos - 2o. piso, Rua Clélia, 33. Shopping Pompéia Nobre - Tel:(11) 3864-3129
Dias e horário: Qui e Sex, 21h.
Preço: R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 meia
Censura: 14 anos
Duração: 70 min
Guia do Ator - www.guiadoator.com.br




                                   
                                 A peça em um todo é inteligente, divertida e causa reflexão e
                                  questionamentos. Um elogio particular a atriz Tatchiane Damasceno
                                que contracenou os sentimentos de um cachorro atropelado, o mendigo
                                e a personagem que tem medo dos "outros".
                                Só quem assistir essa peça vai entender o
                                  quanto ela traduz sentimentos nus.