Seguidores

sexta-feira, 26 de abril de 2013

FERNANDÃO É UMA DELÍCIA, UMA POESIA!


Ai férias! Férias! no aeroporto de Recife (PE).


A caminho da ilha...


Me atualizando com as notícias do Estado...


Olhaaaaaaaaa só que poesia! Arte!


Minha parceira de aventuras...


Muitos gato, gatos muitos.













Aqui no bar do cachorro, rola música, apresentações etc. 
A cortina feita de conchinhas, é o palco dos artistas..




Repor as energias é importante, meu chapa!



A arte que a natureza fez.






Impossível sair de lá sem escrever uns versos. Mais ou menos assim:


Fernandão é uma delícia!


Eis o pôr do Sol.
Eis o pôr no mar.
Eis o pôr e o mar.
O mar no pôr.
O pôr do mar.
E simplesmente
Amar... amar...

O pôr.
E o mar.

(Escrito em Fernando de Noronha, abril de 2013).

By Marah Mends.







Calango Brabo!


Meu exemplo de vida, é essa mulher.



Me acabei... em tudo há poesia!



Poesia dramática!





Eis o pôr do Sol.











Via encarar? Uma delícia!



De volta pra casa depois de mais uma aventura.

Salve salve!

By Marah Mends.

INDICAÇÃO DE FILME NACIONAL: HELENO.


Uma das marahvilhas das férias, é justamente poder fazer todas aquelas coisas (ou pelo menos metade delas), que você deixa pra lá, por conta da correria do dia a dia. Eu, particularmente, adooooooro assistir filme, e por esses dias, pude conferir uma película que há tempos queria assistir: Heleno. Esse filme tem dois aspectos que muito me interessa: O futebol e a biografia.

Heleno de Freitas jogava no Botafogo, na década de 40. Ele foi o grande astro da época, tinha dinheiro, mulheres, bebia demais e era extremamente "pavio curto". Para Heleno de Freitas, nada mais faltava em sua vida... Foi praticamente um dos primeiros galãs do futebol brasileiro. 

Nascido em Minas Gerais, São João Nepomuceno, no dia 12 de fevereiro de 1920, era considerado por jogadores e técnicos, "o craque desequilibrado".

Heleno de Freitas foi o maior ídolo do Botafogo, antes de Garrincha. (outra biografia já foi para o cinema e ainda preciso conferir). 

Deixou o Botafogo com 209 gols marcados em 235 partidas, antes de ser tranferido para o Boca Junior da Argentina. Nunca ganhou nenhum título pelo Bota ou pelo Boca. Por ironia do destino foi campeão estadual pelo Vasco da Gama, em 1949. Único título da sua vida.

Pela seleção brasileira jogou 18 partidas e marcou 19 gols.

Heleno de Freitas deixou o futebol muito cedo, por conta da doença que contraiu. (sífilis).

O fim de carreira foi em um sanatório em Minas Gerais, cidade de Barbacena. 

A película é toda em preto e branco.

Fica a dica.

Vale a pena conferir.

Texto de Marah Mends


FICHA TÉCNICA

Diretor: José Henrique Fonseca
Elenco: Rodrigo Santoro, Alinne Moraes, Othon Bastos, Herson Capri, Angie Cepeda, Erom Cordeiro, Orã Figueiredo, Henrique Juliano, Duda Ribeiro
Produção: José Henrique Fonseca, Eduardo Pop, Rodrigo Teixeira, Rodrigo Santoro
Roteiro: José Henrique Fonseca, Felipe Bragança, Fernando Castets
Fotografia: Walter Carvalho
Duração: 116 min.
Ano: 2010
País: Brasil
Gênero: Drama
Cor: Preto e Branco
Distribuidora: Downtown Filmes
Classificação: 14 anos




segunda-feira, 22 de abril de 2013

MARAH MENDS REPRESENTA O POESIA É DA HORA, NO 2º SARAU DO ERNESTO, EM ARUJÁ



Na noite do dia 20 de abril, a cidade de Arujá recebeu o 2º Sarau do Ernesto, realizado no Parque Rodrigo Barreto, Av Railda Alves de Oliveira, 2754 (antiga Av Municipal).
Nesse evento cultural aconteceram diversas manifestações artísticas tais como: Leitura de poemas, dança, monólogo teatral, música, grafite, dinâmica de grupo e o lançamento do livro “Não temos muito tempo”, do autor poeta e professor de História em Suzano, Mano Cákis.
O evento foi organizado pelo Projeto Nossa Terra Social e Cultural, com apoio da CNA e Lava Rápido ADM (cedeu o espaço para a realização desse encontro).





“ Esse novo espaço cultural dentro do maior bairro de Arujá é primordial  para a ascensão da arte independente. Temos diversos talentos na cidade, precisamos de mais espaços culturais e apoio efetivo da Prefeitura, setor privado e sociedade civil para estruturar mais ainda nossos  pequenos espaços. A população precisa comprar essa causa cultural, participar, se envolver e ocupar espaços alternativos como esse, que lhe são oferecidos. A arte também é uma forma de entender o mundo, se expressar, socializar-se. Parabéns a toda organização do Sarau do Ernesto, que muito lutou para oferecer essa alternativa cultural para os moradores não só do Barreto, mas da cidade. A arte é livre! (comentou a publicitária e poeta Marah Mends, que também coordena um projeto sociocultural em São Paulo, intitulado Poesia é da hora. Marah Mends é cidadã Arujaense e todos os sábados participa junto com a Rádio Cantareira FM do quadro que fala sobre a importância da poesia e dicas culturais.





A arte vale mais!

Contatos dos envolvidos:

Fan page Facebook: Projeto Nossa Terra
Fan Page Facebook: Poesia é da hora.
Cláudio Cákis: Facebook (escritor de Suzano).