Seguidores

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

CONHEÇA OS PERSONAGENS DO LIVRO: AMARGURAS DE UMA PAIXÃO.


Conheça os personagens do livro Amarguras de uma paixão, p. 1
Qual desses personagens você mais gostou?

JOSÉ ROBERTO.
Por alcunha: Beto ou Alemão. 
A poesia da vida é... ter seu nome gravado para sempre na história do Brasil. E se sobrar um tempo, na história mundial.



GILMAR RIBEIRO.
Por alcunha: Giba ou Gibão.
A poesia da vida é... o dinheiro e o que ele proporciona.

ANDRÉIA LEITÃO.
Por alcunha: Déia ou “Marta”.
A poesia da vida é... beijar, badalar e praticar esportes.

RUBENS CARDOSO.
Por Alcunha: “Porraloka” ou “Cachorro Doido”.
A poesia da vida é... fazer sua banda de fundo de garagem vingar e conquistar o coração de seu amor platônico:
Mônica da Silva.

REGINA DUPRÈ.
Por Alcunha: “Pagu” ou Regininha.
Poesia da vida é... ter amigos, uma família participativa, um namorado compreensível, cachorro, gato, galinha, quintal, escrever romances e poesias; participar da vida política do país, passar no vestibular para universidade pública e fazer parte das transformações socioculturais que a juventude promove.

ÉZIO PEREIRA.
Por alcunha: “Zé Cabeção” ou “Porcão”.
A poesia da vida é... ver o Verdão campeão do mundo e o salário mínimo mais digno.

THOMEU CAMARGO.
Por alcunha: “Cabeça de Bagre” ou Chocólatra.
A poesia da vida é... chocolate e vídeo game.

SOLANGE SANTOS.
Por alcunha: “Maria vai cá Zotras”, (entre outras baixas).
A poesia da vida é... “funk brasileiro” e diversão momentânea.

PRISCILA ARRUDA.
Por alcunha: Santinha
A poesia da vida é... buscar a Deus em primeiro lugar.

LIZ APARECIDA
Por alcunha: “Franga Lôra”, “Oxigenada” (entre outras)
A poesia da vida é... ter poder e ser desejada.

MÔNICA DA SILVA.
Por alcunha: Moniquita ou Morena de Mogi.
A poesia da vida é... Amar e ser amada em todos os aspectos

FABIANO DESIDERI.
Por alcunha: Pit Bull de Mogi ou Tyson.
A poesia da vida é... ter o amor de Mônica da Silva para sempre e ser temido.

NICE DA SILVA.
Por alcunha: “Bruxa do 71”. (Apelido dado por sua sobrinha Mônica).
Poesia da vida é... ter alguém que a sustente financeiramente.

Amarguras de uma paixão, parte 1
Um livro da autora: Marah Mends
Contato: poesiaedahora@gmail.com

MARAH MENDS APRESENTA O BOLETIM POESIA É DA HORA, DESTE SÁBADO


Boletim Poesia é da hora
21/02 Sábado 10h30

www.radiocantareira.org
Sintonize ae.
Vem!

domingo, 8 de fevereiro de 2015

ARTE O ANO TODO!


Arte é da hora! Mais do que da hora! Arte é uma maneira de refletir o mundo!
Em 2014, tive o privilégio de ver muitas exposições em centros culturais, ruas e guetos. Todas essas exposições, de certa forma, acrescentaram em minha arte poética. Agradeço a cada uma delas, pela sensação causada.
E você? Lembra-se das exposições que viu em 2014?
E em 2015, quais serão?

Salveeeeeeeeeeeeeeee!
By Marah Mends.

*Os intelectuais e a cidade século XIX e XX (Caixa Cultural SP), janeiro.
* Gotas (BM&F Bovespa), janeiro.
* Photoespaña (Sesc Consolação), janeiro.
* Exposição fotográfica Elikoh Hosoe (Sesc Consolação), abril.
* Grafites e instalações vistos diariamente (ao ar livre, ano todo)
* Vespa (Museu da Casa Brasileira), junho.
* Móbiles – de Eduardo Mansur (Vão livre do Carrefour Granja Julieta), junho.
* Manga (Metrô Brás), setembro.
* Serigrafias de Caribé (Sesc Bom Retiro), setembro.
* Gatos e alfaces Rock n roll Poetry (Galeria Olido), outubro.
* Castelo Rá Tim Bum (Museu da Imagem e Som), outubro.
* Carros antigos (Praça do coreto em Arujá), dezembro. 

TEXTO: DOIS MIL E QUINZE


Dois mil e quinze.

De onde transparece nossa inspiração ou transpiração para nossa “arte artística” ou nossa “arte de viver”? Você aí que faz “arte” de variados aspectos e formas... uma arte sua, uma arte nossa... conta aí, de onde vem a inspiração ou transpiração para isso tudo aflorar?
Pensei... pô, minha “arte artística” ou “arte de viver” também emerge de tudo que sinto, vivencio, vejo e acredito. Somos diariamente influenciados por “lampejos de estados de espírito”, “pitacos”, “diretas e indiretas”, sorrisos e lágrimas, “o agir no momento inesperado”, o submergir em momentos onde seria mais interessante... exprimir palavras. Inspirações e transpirações ocorrem conforme cada ocasião, cada lugar ou pessoa que está ao seu lado e causa algo... ou não causa absolutamente... nada. E passa.
As peças de teatro que vi, filmes assistidos, exposições, viagens e passeios, saraus, livros lidos, shows, família, pessoas que passam e ficam. Pessoas que só passam, cada qual deixa um pedacinho de si (mal ou bom), mas que tudo vira aprendizagem no final das contas. Durante nosso ano de jornada, também causamos mal estar ou bem em outrem, às vezes não nos damos conta disso... ou damos... e ignoramos. E assim a vida segue...
Fiquei pensando agora a pouco o que quero para 2015. A gente sempre pede algo e às vezes esquece de agradecer, pois o "pedir" vem primeiro num impulso individualista. Parei, pensei de novo e veio-me algo que vai ficar como uma espécie de mantra, pra ler, reler e manter presente diariamente:
Eu quero ter humildade de reconhecer os erros. Sabedoria para corrigi-los e celebrar cada poesia da vida que a aprendizagem nos traz.
E assim a vida segue, juntando momentos e pessoas em nossa mala cultural: 2015, 2016, 2017, 2018, 2019, 2020... até onde estiver no roteiro para aparecer ou se esconder.

Bom 2015 pra todos nós!

Texto de Marah Mends.
Autora do romance: Amarguras de uma paixão, parte 1.

Poesia é da hora
poesiaedahora@gmail.com


TEXTO: EU TENHO! e VOCÊ? - MARAH MENDS


Eu tenho! E você?

Por estes dias, assim sem mais nem menos, em um lampejar saudosista, quiçá... lembrei-me das aulas de sociologia da professora Suzana. Época de faculdade, Comunicação Social, entre 2006 e 2010, ô tempinho difícil! Mas isso não diz respeito a professora Suzana. Quero relatar que a maneira como a professora explicava e exemplificava a matéria era de fato interessante e produtivo, ao meu ver. Minha sala era famosa por ser a mais “faladeira” do período, muitos professores diziam isso, (aliás... na época da escola, a sala onde estudava também tinha essa fama, acho que criou-se uma sina, sei lá) mas... voltando às aulas da professora Suzana, dizia que àquelas explicações, faziam e fazem um grande sentido para mim, por abordar temas sobre organização e funcionamento da sociedade, convívio entre pessoas e grupos, enfim. Muitos alunos achavam a matéria maçante, difícil à beça para tirar nota boa, mas é exatamente aí que entra o poder de persuasão e talento de um professor. Passaram alguns anos e aquele questionamento da professora Suzana ainda pulula em minha irrequieta mente. Ela disse:

- O adulto é uma criança grande! Vocês se lembram daquele comercial que dizia: “Eu tenho, você não tem”. “Eu tenho, você não tem”. - e imitou o garoto propaganda - Lembram?

O comercial do qual a professora relatou é da década de 90, onde uma criança segurava uma tesoura do Mickey orgulhando-se veemente por ter algo que ninguém tinha: A tesoura! Continuou:

- Certos adultos, também são assim! – disse Suzana - Ele quer ter o melhor carro para mostrar para o seu vizinho que “ele tem, você não tem”. Ele quer ter a melhor casa para mostrar para os outros “eu tenho, você não tem”. Como o garotinho da tesoura...

Parei. Pensei. Claro que tudo isso é muito relativo, mas...

Um exemplo tão simples que trouxe-me um olhar mais analítico sobre a cultura da ostentação, sociedade e consumo, a influência da publicidade sobre as pessoas, etc, etc, etc.

Lembre-me desta explicação, pois vejo constantemente práticas deste simples exemplo dado pela professora em pessoas da família, colegas de trabalho, na rua, nos lugares aonde observo comportamentos...

Louco isso, mano!

Eu tenho... e você, tem alguma história sobre a influência do professor em seu dia-a-dia?

Conta pra gente!

(Resenha de Marah Mends, autora do livro Amarguras de uma paixão e proponente do projeto sociocultural Poesia é da hora).


TEXTO: UNINOMINAL - MARAH MENDS


Uninominal

Tinha um sossego estranho nos lábios quando abriu a janela de vidro. Sentiu o vento frio da cidade esbofetear sua face. Fazia quase dez graus indicava o ponteiro do prédio que sua vista avistava da janela de vidro. Seu corpo já estava frígido antes da vidraça aberta; fazia cinco graus indicava o ponteiro do seu coração. 
Afastou a cortina vermelha e inspirou... bem devagar. Bem devagar. O suspiro saiu trêmulo pelas ventas. Talvez fosse o cansado, talvez fosse a ausência do abraço, talvez fosse... o laço que há pouco delimitou a razão da emoção. Permitiu-se suspirar assim três vezes seguida; e sua pulsação insistia em bater devagar... devagar.
Pensou um milhão de coisas substanciais dentro de um quarto de espaço do tempo que resta. Teve vontade de escrever seus pensamentos, estas coisas de momento, algo assim minimalista, mas tudo que sua mente idealista rascunhou foi... três pontos dentro de dois colchetes. Três pontos dentro de dois colchetes.
Três pontos.
Dois Colchetes.
{...}

Marah Mends.

AMARGURAS DE UMA PAIXÃO, PARTE 1


Adquira já o seu exemplar autografado.
Frete grátis para postagens nacionais.
Contato: poesiaedahora@gmail.com

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

AGENDA DE FEVEREIRO 2015


Agenda de fevereiro.

07/02 (Sab) – Boletim Poesia é da hora 10:30.

10 (Ter) Oficina Poesia é da hora, Tenda Alcântara, 15h.

17 (Ter) Oficina Poesia é da hora, Tenda Alcântara, 15h.

19/02 Aniversário do meu irmão, Sérgio Cleiton.

21/02 (Sábado) Sarau Poesia é da hora, Tenda Alcântara 14h.

21/02 (Sábado) - Boletim Poesia é da hora (novo horário) 10h30.

22/02 (Dom) – Gravação do CD do Costa Senna​.

24/02(Ter) Oficina Poesia é da hora, Tenda Alcântara, 15h.

26/02 (Qui) Lançamento do livro Amarguras de uma paixão, no SARAU Tucuruvi.

Até 28/02 entregar o texto do monólogo para Marcelo Seraphim​