Seguidores

terça-feira, 22 de maio de 2018

Elefantes têm medo de formigas na escola estadual Edir Paulino de Albuquerque


Uma das propostas desse novo romance é fazer com que ele chegue nas escolas, nas fundações casa, nos presídios, nos centros de acolhida, nas bibliotecas públicas e comunitárias. Ainda há muito o que caminhar...


Um dos passos já foi dado quando o livro chegou até a escola estadual Edir Paulino de Albuquerque, da qual fui ex-aluna e rolou um bate papo muito louco com os alunos e professores dali. 

Gratidão a todas e todos que ajudaram a viabilizar esse encontro, funcionários da escola, professora Mércia e professoras de um modo geral.

Sábado agora é o lançamento oficial na livraria Martins Fontes e na próxima semana estarei com os alunos da escola estadual Strautmann.

É nois.
Pega a visão!






Dia 26 de maio às 15h na livraria Martins Fontes


Passando só avisar que dia 26 de maio, sabadão,  tem lançamento do livro: Elefantes têm medo de formigas, na livraria Martins Fontes (Av. Paulista, 509) no mezanino (parte de cima da livraria) e você tá convidada... e convidado.
Vem!
Valeu pelo registro, Bia! Ingrid...

Só umas palavras...



Particularmente, não gosto do frio não. O frio ataca todas minhas 'ites': rinite, sinusite etc... etc... etc... As formigas também não gostam do frio não. Não fico pensando na elegância ou deselegância das roupas em época de inverno e sinceramente, tanto faz, tanto fez se me falarem sobre isso também. Como uma boa ouvinte que estou, porque nem sempre fui e nem sempre sou... vou ouvir. Não consigo guardar tudo que me falam porque tenho memória de poeta... lembro mais do que me emociona, do que me impacta e me causa reflexão.

Na madrugada que foi registrada a menor temperatura do ano (8 graus), morreram dois manos de rua que dormiam nas calçadas de SP. Até o fim do inverno serão mais e todo ano é sempre a mesma história. 
Pessoas se mobilizam, coletivos se intensificam para arrecadar agasalhos, cobertores, servir sopa, café, chá... Mas, as pessoas não estão morrendo só de frio... É o descaso que mais mata. Um descaso histórico, um descaso pré-fabricado... que perdura...

Noite linda no Bixiga: Sarau e resistências...





domingo, 20 de maio de 2018

Oficina literária na Coopacesso - Santo André!


Coopacesso foi tão linda. Trocamos palavras, abraços, sorrisos, experiências, poesias, exercitamos a escuta, a fala, a criação. Cada qual com sua visão de mundo. Cada qual com sua maneira de interpretar as situações ao nosso redor. Cada pessoa é um mundo, somos tão diversos...
Adorei estar com vocês!
Gratidão pelo convite, Coopacesso...

























segunda-feira, 14 de maio de 2018

Elefantes têm medo de formigas- Marah Mends




Molhando o bico...

66ª edição do sarau Poesia é da hora na Casa Florescer


66° edição do sarau Poesia é da hora (Casa Florescer)

O sarau Poesia é da hora na Casa Florescer foi um arraaaaaaaaaso!

Abrimos com a mensagem de paz, música e reflexão das freiras franciscanas, rolou pocket com o Edson Santos, banda Lets Rock, Poetas do Tietê, Paulo D'Auria, Giselia Trajano, várias apresentações musicais e performances das mulheres trans da Casa Florescer, Suzi Muniz, Renata Perón, Clay Thompson Costa, Ave Terrena, Pamela Rogers, Rocheli, Penélope Joli, Rogéria Peres, canções da Amy W.House, Erick Cesar fez performance da Leci Brandão, peça teatral, poesia com João Pedro Innecco, Patrícia Patricia Borges do TRANSarau, Nath colou fortalecendo com os textos, o Jaime José Teixeira Queiroga e sua mãe também estiveram por lá, Marcio Telles se virando nos trinta pra deixar tudo lindo, os chapas de coletivo: Nicanor Jacinto da Silva, Henrique José, a voz divina da Amanda Gonçalves e fechamos com uma mensagem de paz, uma roda de olhares, reflexões e abraços. Foram quase seis horas de sarau, o mais longo que realizamos.

Teve emoção a flor da pele, discurso, lágrimas, sorrisos, protesto, Matheusa, abraços e também muito pensamento e atitude que precisam de mais diálogo e desconstrução. Principalmente entre os que do lado de fora da rotina, sobrevivência e luta dessas meninas da Casa Florescer. Espaços de diálogo como saraus e outros tantos, também podem e devem promover o diálogo sobre homofobia, transfobia e tantos outros temas

Os saraus na Casa Florescer são sempre saraus cheios de atrações incríveis e com uma energia avassaladora.
Alberto Silva, gratidão por nos apoiar em nossas loucuras... opa, você é louco também, tá explicado porque tem dado tão certo!

Que tarde e noite incríveis!

Nossa gratidão! A todas, todos, todes...
E principalmente nosso respeito.

É nois...